Algo está me escapando?

O bitcoin é o novo S&P 500 apimentado com mais volatilidade Quanto mais acompanho o mercado nestes tempos de crise, mais vejo irracionalidades que me fazem questionar se não está me escapando algo. Nos Estados Unidos temos recorde atrás de recorde de números de desempregados e o principal índice da Bolsa americana, o S&P 500, está “só” 12% negativo no ano.

O bitcoin é o novo S&P 500 apimentado com mais volatilidade

Quanto mais acompanho o mercado nestes tempos de crise, mais vejo irracionalidades que me fazem questionar se não está me escapando algo.

Nos Estados Unidos temos recorde atrás de recorde de números de desempregados e o principal índice da Bolsa americana, o S&P 500, está “só” 12% negativo no ano.

Número de desempregados registrado semanalmente.
Fonte: Trading Economics

Hoje contratos futuros do S&P começaram o dia caindo, com o ouro caindo junto.

Os bancos foram os primeiros a soltar resultados consolidados do primeiro trimestre e veem lucros caírem quase 60% no comparativo com o ano passado — e ainda se vende uma recuperação em “V” (pelo menos é a figura que o S&P está mostrando).

Gráfico de linha do S&P 500.
Fonte: TradingView

O consumo nos EUA caiu 8,7% em março, ante uma queda esperada de 8%, número que já era 3 vezes mais negativo do que o do pior mês na crise de 2008.

Na semana passada, os dados do número de desempregados foram publicados e, quase em paralelo, Jerome Powell, presidente do Fed (banco central americano), anunciou mais um pacote trilionário para salvar a economia.

Amanhã o número de desempregados será atualizado e o consenso do mercado aponta para algo na casa de mais 5 milhões de americanos que perderam o emprego.

Powell tem mais uma bazuca de dinheiro para usar?

Trilhão é o novo bilhão.

As boias salva-vidas estão sendo jogadas a todo momento e pouco a pouco os EUA estão estatizando a economia com dinheiro infinito.

Em todo discurso, Trump fala de reabertura do país logo mais e sempre afirma que todos estão fazendo um ótimo trabalho.

Ano de eleição, discurso de eleição.

Será que o mercado está em estado de negação ainda?

Os bancos podem estar até melhores do que em 2008, mas e a economia mundial?

Qual vai ser o gatilho para o consenso começar a mostrar nos números que estamos vivendo uma crise única e diferente de tudo que já vimos?

Acredito que com a temporada de resultados das empresas podemos ver algumas “fichas caindo” e valuations se ajustando para patamares de uma crise real, ou não. Pode ser que o jogo seja mais longo e a toada seja a seguinte:

Os resultados do primeiro trimestre não importam porque pegaram bem pouco da crise instaurada, os do segundo trimestre importam menos porque já se esperam quedas homéricas e apenas os dados do terceiro e quarto trimestres seriam realmente relevantes para avaliar como as empresas estão.

Mas por que diabos estou falando de economia macro, quando o nome desta newsletter é Crypto Talks e não Macro Talks?

Caro amigo (ou amiga), desde março o bitcoin e o mercado inteiro de cripto está com uma correlação altíssima com o S&P 500.

A minha ficha já caiu e, enquanto essa relação perdurar, sei que comprar BTC será comprar S&P 500 com mais volatilidade.

Vamos jogar esse jogo até ele mudar.

Forte abraço,
André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter