Café, cripto, bull e bear market

O café é provavelmente uma bebida que todo brasileiro aprecia ou já apreciou algum dia. Somos o segundo maior consumidor do mundo, com uma média de 839 xícaras de café ao ano.

O CAFÉ DO VIZINHO NÃO É MAIS SABOROSO

O café é provavelmente uma bebida que todo brasileiro aprecia ou já apreciou algum dia. Somos o segundo maior consumidor do mundo, com uma média de 839 xícaras de café ao ano.

Para a maioria das pessoas, essa bebida é a forma mais comum de ingerir cafeína, um estimulante que esteve presente em vários momentos históricos interessantes.

Isso porque movimentos de revolução mais intelectualizados e jornadas de trabalho não acontecem em tavernas nem regados a álcool.

As primeiras ideias que levaram à Revolução Francesa foram discutidas em cafés na França, e as jornadas de oito horas de trabalho nas primeiras fábricas pelo mundo foram possíveis graças ao consumo de cafeína.

Do ponto de vista evolutivo, a Coffea (gênero da árvore do café) fez um belíssimo trabalho ao se alastrar por todo o mundo se tornando uma planta de primeira necessidade.

Desde a sua descoberta na África Ocidental até hoje, essa planta passou por vários cruzamentos, e como o café tem os mais diversos preparos, são incontáveis as variedades da bebida.

Provavelmente, mesmo sendo amante do café, vou morrer sem ter provado todas as combinações possíveis, até porque novos cruzamentos de plantas e formas de preparo são propostos todos os anos.

Mas isso não me incomoda nem um pouco, estou bem feliz com o meu café coado pela manhã.

Nesse caso, o café do vizinho não me parece muito mais saboroso que o meu.

Assim encaro o mundo dos criptoativos em momentos como o que estamos vivendo.

O bitcoin está em uma faixa de US$ 9 mil a US$ 10 mil há mais de um mês, mas existem inúmeros ativos apresentando performances chamativas desde o começo do ano.

Os tokens ligados às finanças descentralizadas (DeFi) estão em alta e acredito fortemente nessa vertente para os próximos 6 a 12 meses como grande vencedora.

As exchanges descentralizadas vão cada vez mais tomar espaço das centralizadas, pois se beneficiam de um efeito de rede que criam em conjunto e também das suas múltiplas integrações com outras plataformas.

Esses são o meu “café coado” toda manhã.

Por outro lado, em momentos de euforia como esse, novas vertentes de investimento no mundo cripto aparecem e essas podem ser as próximas vencedoras.

Esses são os cafés dos meus vizinhos, que podem ser até bons, mas não vou correndo prová-los só por isso.

É nesse ponto que você deve ter cuidado e diligência com aquilo que vai pôr em sua carteira de investimentos.

Sempre vai ter aquela dica que deu 3 vezes mais que o seu investimento, e um amigo se vangloriando disso.

O bull market elege os seus campeões a partir dos retornos conseguidos, e aquele que mais correu risco é geralmente o ganhador.

A mídia adora a história do cara que colocou todas as suas economias em um só ativo e se tornou milionário da noite para o dia.

Por outro lado, sabemos que o futuro é opaco, e essas mesmas histórias de felicidade e acertos poderiam ser contadas como histórias de fracasso em um bear market.

Por isso tome muito cuidado ao selecionar esses ativos. Diferentemente do café, com o qual o exagero pode lhe custar apenas umas horas de sono, os erros nos investimentos podem significar a ruína.

Forte abraço,
André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter