Como ir ao estádio ver o flamengo

Ontem o Flamengo se classificou para a final de mundial de clubes, vencendo de virada o Al-Hilal. Mas vamos destrinchar o jogo e fazer como Galvão Bueno, imaginar o que estava passando pela cabeça dos torcedores em Doha em determinados momentos. Pelo menos umas duas horas antes da partida, o flamenguista que pagou R$ 20 mil para ir assistir a seu time no mundial já estava preparado e tomando o caminho do estádio no Qatar.

VÁRIOS MINUTOS DE BEAR MARKET

Ontem o Flamengo se classificou para a final de mundial de clubes, vencendo de virada o Al-Hilal.

Mas vamos destrinchar o jogo e fazer como Galvão Bueno, imaginar o que estava passando pela cabeça dos torcedores em Doha em determinados momentos.

Pelo menos umas duas horas antes da partida, o flamenguista que pagou R$ 20 mil para ir assistir a seu time no mundial já estava preparado e tomando o caminho do estádio no Qatar.

Naquele momento, o torcedor era só esperança e alegria. Provavelmente, o ataque do Al-Hilal seria inferior ao do Flamengo — que virou o jogo em cima do River Plate — e a vitória era certa.

A partida começa e algumas dúvidas aparecem na cabeça do torcedor rubro-negro. 

Eis que Salem Al-Dawsari faz aquele gol, muito parecido com o que o River marcou na final da Libertadores, e o flamenguista, até então animado, se vê angustiado. 

Acaba o primeiro tempo e, nos 15 minutos de intervalo, os R$ 20 mil desembolsados para ir ver o time do coração ao vivo passam a ser dinheiro desperdiçado. 

Então, com 3 minutos do segundo tempo, o empate vem. 

Depois da virada e da classificação para a final, a angústia dá lugar à alegria. 

Se esquecermos as emoções enquanto o jogo estava rolando, o torcedor basicamente é o mesmo antes e depois, no que diz respeito ao sentimento. 

História semelhante aconteceu com o mercado de criptoativos este ano. 

De fevereiro a março, engatamos um bull market digno de cripto, saindo dos US$ 3.400 até atingir o pico de quase US$ 14 mil. 

O investidor passou cinco meses vivendo apenas um mercado verdinho. 

Depois, engatamos a marcha à ré e, desde então, só caímos, com um suspiro de alta no mês de outubro. 

Podemos até ter algumas fotos feias, mas o filme de 2019 é ótimo no que diz respeito ao preço. 

Se botarmos nessa conta os intangíveis, que são a evolução do mercado e o aval de grandes empresas e governos, o ano inteiro foi ótimo. 

Com o principal ativo desse mercado subindo 80% no ano, não entendo como ainda tem gente falando do fim do bitcoin. 

Se apegar à queda recente e ignorar que o bitcoin deu mais dinheiro que a Bolsa em 2019 é como ser um flamenguista que se apegou ao fato de tomar um gol no primeiro tempo e não está feliz pela classificação. 

Não seja esse investidor e não seja esse flamenguista, se é que ele existe. 

Forte abraço, 

André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter