O dólar pode ser destronado?

Dado que é 1º de abril, você já deve esperar alguma piadinha, pegadinha ou lorota dos seus amigos e familiares, certo? Mas dado o contexto atual, qualquer tentativa nesse sentido pode atuar como fake news e se propagar sem controle. Além disso, não sei se temos clima e não vou ser o primeiro a testar isso com você.

A pior moeda para reserva mundial, exceto por todas as
outras

Dado que é 1º de abril, você já deve esperar alguma piadinha, pegadinha ou lorota dos seus amigos e familiares, certo?

Mas dado o contexto atual, qualquer tentativa nesse sentido pode atuar como fake news e se propagar sem controle.

Além disso, não sei se temos clima e não vou ser o primeiro a testar isso com você.

Nossa conversa de hoje mantém o tom cauteloso e incerto de como será esse mundo novo pós-Covid-19.

Temos mais perguntas que respostas e, toda vez que respondemos a alguns questionamentos, outros dez aparecem.

O dólar tem chances de perder sua característica de reserva de valor mundial?

A impressão de dinheiro nessa velocidade e de forma coordenada pelos bancos centrais pode causar inflação de igual magnitude?

A estocagem de petróleo até o fim da crise não pode gerar deflação e nos jogar em uma recessão econômica?

Para todas essas perguntas, uma única resposta: não sabemos.

São totalmente desconhecidos os efeitos que o distanciamento social pode causar na nossa economia.

Mesmo assim, temos que navegar. O tempo vai passar inexoravelmente e as decisões tomadas hoje para o seu dinheiro serão as mais importantes do ano.

Mas não espere melhoras no cenário mundial nas próximas duas semanas no quesito avanço da doença.

A principal economia do mundo vai sentir, talvez pela primeira vez, a sensação de impotência diante dos desdobramentos futuros, com cidades em quarentena e número de casos aumentando.

Para conter as catastróficas consequências para o mercado financeiro, o Fed, banco central americano, vai seguir comprando ativos, distorcendo mais ainda o mercado, que de livre não tem mais nada.

Na verdade, isso já está acontecendo. Veja a imagem abaixo que mostra o valor dos ativos no balanço do Fed.

Fonte: Conselho Diretor do Federal Reserve System (EUA

A soma em ativos no balanço ultrapassa a marca dos US$ 5,2 trilhões.

Isso distorce o mercado e, se não existe uma desvalorização dos ativos, ocorre uma desvalorização da moeda. E não estamos falando de qualquer moeda, mas do dólar, que é a principal reserva de valor do mundo.

Isso não deveria destroná-lo do posto de reserva de valor mundial? Não, porque não temos nada para substituí-lo.

O dólar é a pior moeda para reserva mundial, exceto por todas as outras.

Todos os países possuem reservas em dólar e retirar essa moeda e os EUA do centro da economia global teria implicações catastróficas para todas as nações.

Por isso o Fed ainda pode confiar em imprimir dólares na casa dos trilhões que vai ter demanda.

Mas é aquela velha história, isso é verdade até não ser mais.

E não, nem o bitcoin nem nenhuma cripto está preparada para servir como reserva internacional. E nem precisa.

Basta que uma parcela da população ou alocadores percebam o risco, por mais que pequeno, de o dólar falhar como reserva de valor que o ouro e o bitcoin se beneficiam.

Forte abraço,

André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter