Simplicidades emergentes de complexidades

O PROBLEMA DE UMA MOEDA SEM ESTADO “Das complexidades intensas emergem intensas simplicidades.”

O PROBLEMA DE UMA MOEDA SEM ESTADO

“Das complexidades intensas emergem intensas simplicidades.”

Winston Churchill, em 1927

Empreendedores, cientistas e estudiosos gostam de resolver problemas complexos a partir de questionamentos que podem guiá-los à resposta correta.

A princípio, um problema impossível na verdade precisa apenas da pergunta correta para sua solução ser encontrada.

Por exemplo, existe muita literatura que tenta propor uma solução para o problema da fome no mundo por meio do aumento da produção de alimentos e do aproveitamento de áreas insalubres para o cultivo.

Essa é uma abordagem complexa para um problema complexo, e não é a única possível.

Na verdade, o problema pode ser encarado com uma pergunta diferente: em última análise, a questão que temos diante de nós é como possibilitar que o ser humano absorva energia solar sem necessitar de intermediários.

Explico.

A luz do sol é a principal fonte de energia na Terra, e viabilizou que inúmeros seres vivos habitassem o nosso planeta.

Em uma cadeia alimentar bem curta, as plantas absorvem a luz do sol e, por meio da fotossíntese, crescem; então, outros animais se alimentam dessas plantas e também se desenvolvem a partir da energia consumida.

Ao final dessa cadeia se encontra o ser humano, que se alimenta tanto das plantas quanto dos animais.

Perceba que a energia do sol absorvida pelas plantas vira energia tanto para os animais quanto para os homens.

Se fosse possível para o ser humano absorver energia diretamente do sol, isso tornaria a cadeia alimentar obsoleta.

Pelo menos do ponto de vista da energia, essa visão faz sentido. Claro que por se tratar de um organismo tão complexo a forma como a energia é absorvida faria diferença, mas o intuito aqui é trazer uma pergunta nova ao contexto.

Esse mesmo tipo de pergunta fora da caixa foi feita por muito tempo com relação ao sistema financeiro, até chegarmos à concepção do bitcoin, proposto por Satoshi Nakamoto.

O conceito de uma moeda que não estivesse sob o controle do Estado já havia sido elaborado antes do surgimento da cripto, pelo economista austríaco Friedrich Hayek, ganhador do Prêmio Nobel.

Consequentemente, as ideias de Hayek são hoje reconhecidas como uma das bases da criação de Nakamoto.

Atualmente, o mundo dos criptoativos tem complexidades intrínsecas cujas respostas podem também estar em abordagens simples.

E da mesma forma que o bitcoin resolveu um problema e no caminho deixou os seus investidores realmente ricos, novas oportunidades igualmente formidáveis estão se formando hoje e solucionando problemas complexos com simplicidade.

Para saber de quais oportunidades estou falando, acesse esta série de vídeos que fiz para tratar do assunto.

Vejo você por lá.

Forte abraço,
André Franco

Inscreva-se em nossa newsletter