Para ir além do sexo com gorilas

Nesta época de ousadas resoluções para o ano novo, me sinto obrigado a sugestioná-lo com questões que, para mim, são essencialmente naturais. Você já fez sexo com um gorila?

Nesta época de ousadas resoluções para o ano novo, me sinto obrigado a sugestioná-lo com questões que, para mim, são essencialmente naturais.

Você já fez sexo com um gorila?

Em caso negativo, deixe eu lhe contar como funciona.

Ao transarmos com um gorila, tudo acaba acontecendo do jeito que o gorila quer. Se for também do seu agrado, sorte sua. Mas seus inputs libidinosos ficarão absolutamente em segundo plano. Prepare-se para isso e não vá esperando outra coisa.

(Perdão ao Ibama, nenhum animal foi usado durante a composição deste Day One.)

O gorila é o mercado.

Sexo com o mercado pode ser sensacional, especialmente durante os ciclos positivos de Bolsa, como o que vivenciamos agora.

Mas sexo com o mercado é do jeito que o mercado quer. Corremos sempre a tentação de achar que estamos donos da situação, indutores de tesudas valorizações, mas a verdade é que é apenas o mercado subindo em cima de nossos corpos. Relaxe e aproveite.

Felizmente, existe também uma alternativa para aqueles investidores de ego lascivo, que ambicionam um maior protagonismo sexual.

Em vez de ficarmos sempre sujeitos ao mercado, temos a chance de moldar as condições gerais ao nosso favor. 

Para escapar da dominância macro, buscamos a solução no que é micro.

Microcaps são ágeis e versáteis, de modo que uma carteira bem composta por esses pequenos tesouros é capaz de bater o mercado nos mais diferentes contextos.

No nosso caso, o diferencial se faz ainda mais emblemático, pois desafiamos não só o mercado como um todo, mas também as pequenas ações contempladas no Índice Small Cap da Bolsa brasileira.

Veja só a performance da nossa carteira Microcap Alert contra o Índice Small Cap nos últimos seis anos:

Todos sabemos que rentabilidade passada não é sinônimo de rentabilidade futura. No entanto, não fiz a tabela acima para me gabar dos altos percentuais históricos. 

O grande ponto aí está na capacidade de ir bem quando o mercado vai mal, e mesmo de ir incrivelmente bem quando o mercado vai bem.

Temos uma estratégia específica para montar portfólios de microcaps, que demanda um cuidado igualmente específico, pois o risco dessa categoria é maior.

Dá um baita trabalho, mas tem valido a pena.

Batalhando por alguns pontos percentuais acima do mercado, ano após ano, conseguimos nos descolar impressionantemente de um potencial de valorização que, por si só, já era bastante significativo.

Em termos práticos, estou falando de +596,2% versus 114,7%, de 2014 a 2019.

Inscreva-se em nossa newsletter