Acho bom quando o Mercado exagera assim

Todos vimos a Organização Mundial da Saúde declarar pandemia do coronavírus na quarta passada, como se fosse uma novidade.

Todos vimos a Organização Mundial da Saúde declarar pandemia do coronavírus na quarta passada, como se fosse uma novidade.

Só as agências de rating perdem em velocidade para a OMS - aliás, quando teremos o primeiro default de um crédito carimbado como investment grade?

O Mercado, com todas as suas distorções e imperfeições, já vem tratando o corona como pandemia desde fevereiro.

Escrevo "Mercado" com M maiúsculo pois me refiro aqui a uma entidade que, embora não responda por um nome próprio, possui ampla vida própria.

O Mercado passa seus recados para o público geral por meio daquilo que Kierkegaard chamava de "método indireto de comunicação".

Fã de Sócrates, o filósofo dinamarquês Søren Kierkegaard defendia a expressão da mensagem de forma que o autor abrisse mão da vaidade de protagonizar um discurso.

Ele levava essa parada tão a sério que escreveu quase todos os seus livros filosóficos sob a máscara de pseudônimos.

O método indireto acaba exercendo uma profunda função pedagógica, através da qual o professor fica livre para ensinar sem ser tratado como um ídolo, enquanto o aluno fica livre para aprender sem carregar o estigma de discípulo.

Pense no Mercado que - ser difuso por definição - só pode funcionar por meio de métodos indiretos de comunicação.

O Mercado não está lhe ensinando uma lição ao cair 40%, não está se vingando de ninguém ao entrar em bear market.

Está apenas nos repassando uma mensagem que nós mesmos construímos coletivamente, escalando degraus dialéticos.

O Mercado é um pseudônimo de nós mesmos.

Enquanto muitos de nós podemos estar livres de coronavírus e outros poucos (em porcentagem) podem estar infectados, o Mercado, se tiver que escolher, só poderá estar infectado.

É dito por aí que os efeitos do corona - efeitos médicos e econômicos - são exagerados pela queda livre das cotações.
Mas o exagero nem sempre é ruim.

Países que optarem por medidas radicais de lockdown antes que o vírus se alastre terão um custo mil vezes (exponencialmente) menor com o controle do vírus.

Tomando por base as estatísticas chinesas sobre o comportamento universal do Corona:

Se apuramos contagem oficial de N casos infectados agora, existem, na verdade, 12N casos.

Daqui a duas semanas, haverá 29N casos derivados estritamente dos N casos apurados agora.

Mas hoje só enxergamos N, só vemos a ponta do iceberg.

Já o Mercado é capaz de ver iceberg por completo.

Se o Mercado está caindo exageradamente, eu sinceramente não sei.

Só sei que, dada a letargia dos políticos globais, esse eventual exagero pode ser bom.

A loucura do Mercado (nossa própria sã loucura, que não sabemos reconhecer) acelera a adoção de medidas para prevenir e remediar.

Inscreva-se em nossa newsletter