Carta aos pré-investidores curiosos

Não raro, procuram-me curiosos que julgam ter pouco dinheiro para começar a investir.

Não raro, procuram-me curiosos que julgam ter pouco dinheiro para começar a investir.

Julgam por conta própria, por falta de referências externas.

Sem termômetros universais, pegamos febre de trinta e seis graus e sucumbimos às alucinações que nascem de dentro.

Como têm pouco dinheiro disponível (pouco em relação ao quê?), os curiosos concluem automaticamente que é melhor nem começar.

"Investimento é coisa pra rico, né Rodolfo?".

É? Não sei não. Tenho sérias dúvidas.

Conheço ricos que ganham R$ 50 mil por mês e gastam R$ 50 mil por mês.

Também conheço ricos que ganham R$ 100 mil por mês e gastam R$ 110 mil por mês.

Pelo termômetro da renda bruta, seriam pessoas bem de vida, mas não conseguem investir um só centavo. Ao contrário, flertam o tempo todo com os excessos do consumo e com o limiar letal do endividamento.

Pense assim: se você compra apenas o que usa e não tem dívidas onerosas, já está bem na frente de muitos pobres milionários.

Ei pré-investidor curioso, é com você mesmo que eu estou falando.

Você consegue investir R$ 500 por mês?

"Mas se eu investir só R$ 500 por mês, vai adiantar alguma coisa?".

Primeiro, não vai atrasar nada, o que já é uma grande vantagem.

Segundo, vai adiantar muito (muito mesmo), desde que você tenha tempo pela frente.

Tempo não é dinheiro, tempo é mais importante que dinheiro.

Os retornos compostos de se investir R$ 500 por mês durante dez anos costumam ser fortemente encorajadores.

Além disso, todas as pessoas que eu conheci que começaram com R$ 500 foram se empolgando com o ato de investir.

Essa empolgação fez com que conseguissem economizar um pouco mais, ou as motivaram a performar melhor no trabalho, recebendo promoções.

Logo os R$ 500 mensais se transformaram em R$ 700, e depois R$ 1.000, multiplicando por dois o potencial de construção patrimonial.

Lembrando-me desses ciclos virtuosos, não consigo imaginar um só motivo para você adiar sua decisão de começar a investir.

Quando falamos de educação financeira, curiosidade intelectual não serve para muita coisa.

O que faz diferença de verdade é curiosidade prática, botar a mão na massa.

Dinheiro pouco não é desculpa para se privar de dinheiro muito.

Se o que lhe falta é um plano sistematizado para seguir em frente, por que não dá uma olhada em nosso Empiricus FIRE®?

Inscreva-se em nossa newsletter