Moderna Teoria das Finanças

Qual é sua teoria para investir durante a crise do corona?

Qual é sua teoria para investir durante a crise do corona?

Ou, se quisermos ficar um pouco mais universais e abstratos, qual é sua filosofia de investimentos?

Desculpe, pouco importa.

Se você escrevesse um livro sobre o tema, excepcionalmente detalhado, não bastaria.

Se me contasse cada uma das vezes que ganhou e perdeu dinheiro, ainda assim não bastaria.

A existência e uma teoria sobre a existência são sinônimos assim como um cardápio corresponde à mesa servida de pratos quentes.

Se seu corpo está faminto, um cardápio extenso só o deixará mais irritado de fome.

Se sua alma está faminta, só a existência em forma bruta poderá saciá-la.

"Ah, mas eu sigo os preceitos do value investing e eles mudaram minha vida".

"Compro sempre que a média móvel de 7 dias está prestes a cruzar, de baixo para cima, a média móvel de 20 dias".

Ok, é um direito seu. For the time being, we're still living in a free country.

Mas, ao exercer tal direito, você optou por reduzir sua existência a um pequeno compilado de algoritmos simples.

A partir daí, tome cuidado. Como diz meu amigo Miranda, se você não alimenta sua alma com todos os nutrientes de que ela precisa, uma hora ou outra ela se vinga de você.

A crença absoluta em uma teoria sobre a existência intoxica o discípulo a tal ponto que ele se esquece por completo da necessidade de existir espontaneamente.

O amante de fé se torna mais fascinado por sua teoria do amor do que pela pessoa que pensava amar.

O que é o amor?

"O amor é acordar a cada dia e ser sempre recebido com um sorriso e um beijo. É pegar em cheio um pregão em que GOLL4 sobe +28,29%".

Não, isso não é o amor. Se você não percebe o porquê, não há como explicar. Sem notar o buraco, uma hora o investidor ingênuo cairá no buraco.

É isso, existe um buraco entre a existência e a teoria da existência.

Todas as recomendações de investimento que concebemos na Empiricus são proferidas de dentro desse buraco, e nunca acima dele.

Alguns buracos foram moldados pela geografia de modo que precisamos habitá-los, sem qualquer ambição de escaladas fúteis.

Inscreva-se em nossa newsletter