Ninguém sabe nada

Diante do afunilamento das eleições presidenciais americanas deste 2020, vão ganhando liquidez as mesas de apostas entre o azarão Bernie Sanders, o outsider Michael Bloomberg e o favorito Donald Trump.

Diante do afunilamento das eleições presidenciais americanas deste 2020, vão ganhando liquidez as mesas de apostas entre o azarão Bernie Sanders, o outsider Michael Bloomberg e o favorito Donald Trump.

Ao que tudo indica, mercado já esqueceu de como foram as eleições de 2016.

Você se lembra?

A maioria dos experts políticos cravava Hillary Clinton como vencedora, deduzindo que a Bolsa subiria com essa vitória democrata.

Seria uma alta menos amparada nos méritos de Hillary e mais baseada no alívio. Afinal, nada poderia ser pior para a Bolsa americana do que Trump como presidente.

O que aconteceu?

Trump ganhou no sprint final e a Bolsa americana… subiu! 

Aliás, subiu como poucas vezes se viu depois de uma eleição, conforme mostra o gráfico do S&P 500 abaixo.

Pois bem, guarde essa informação.

Agora viajaremos no tempo e no espaço, para aterrissar em uma história parecida, desta vez de cunho micro e tupiniquim.

Cesp divulgou seus resultados na segunda-feira passada, depois do fechamento.

Analistas entrevistados pelo Broadcast esperavam um lucro em torno de R$ 60 milhões. 

O lucro efetivo veio em R$ 1,3 bilhão.

Repare que não se tratam de desvios marginais em relação ao esperado, não são erros aleatórios cuidadosamente depositados dentro de intervalos de confiança.

Em casos como esses dois, a realidade e a expectativa simplesmente não conversam. Cada uma está trancada em sua sala hermeticamente fechada, sem qualquer possibilidade de contato mútuo.

Mas o ponto que eu considero mais curioso é outro.

Se você tivesse apostado em Hillary em 2016, enchendo o portfólio de Bolsa americana, teria ficado milionário com a eleição de... Trump.

Se tivesse comprado um lucro de R$ 60 milhões para Cesp, ficaria felicíssimo com o bottom line de R$ 1,3 bilhão (ainda que recheado de não recorrentes). 

Não raro - na verdade, com grande frequência -, ganhamos dinheiro estando completamente errados em nossas convicções prévias.

E, naturalmente, perdemos dinheiro também quando estamos certos em apostas feitas mediante informações disponíveis até um momento passado.

Ao contrário do que ocorre dentro da lógica clássica, não poderíamos julgar uma tese de investimento apenas pelo seu resultado. 

Mas, em geral, é o que se faz. É o que se pede que seja feito.

Não dizemos isso como perdedores inconformados, já que a Carteira Empiricus acumulou mais de 200% do CDI desde sua criação, e vai no positivo também em 2020.

Dizemos isso apenas em respeito ao acaso dos fatos.

Inscreva-se em nossa newsletter