Ao infinito e abaixo

Mercados animados nesta manhã, refletindo os juros mais baixos nos Estados Unidos e também sinalizações de estímulos por parte de grandes bancos centrais, como o Banco da Inglaterra (BoE) e o Banco do Japão (BoJ). Mas o destaque foi o Copom que, além de cortar a taxa básica de juros em 0,5 ponto porcentual, para 5,5% ao ano, deixou a porta aberta para uma Selic abaixo dos 5%, na visão de agentes do mercado.